terça-feira, 19 de julho de 2011

Um homem bom; um bom homem: as diferentes formas de estar com Deus

A história está repleta de pessoas boas. A bíblia nos apresenta no capítulo 10 de Atos um homem bom chamado Cornélio. Homem de qualidades que causava admiração na sociedade e sensibilizava o coração de Deus. As qualidades de Cornélio agradavam tanto que ele até poderia ser confundido com um cristão- Era piedoso; Temente a Deus; dava esmolas; orava sempre e até mesmo foi capaz de levar sua casa a adorar a Deus. Tudo isto Cornélio fazia sem ter uma consciência cristã clara, apenas uma dedicação intensa na direção de Deus- Que homem bom! Também encontramos na igreja muitas pessoas assim. Pessoas boas, mas apenas dedicadas na direção de Deus, próximas de serem bons cristãos. Mas faltava algo ainda a Cornélio...
Faltava a Cornélio uma experiência de poder com Deus. Algo que o levasse a conhecer Deus de outra maneira, algo que só pode ter alguém que é encontrado e tocado por Deus. Uma pessoa boa se vira para a sociedade e para Deus; mas uma boa pessoa é alguém que Deus se volta para ela e por Ele transformado. Deus se agradou de Cornélio e decidiu se revelar a ele. Então manda-lhe Simão, para ensinar-lhe algo que estava além do que ele sabia. Podemos buscar a Deus; mas também podemos ser buscado por Ele. Um passo na direção de Deus pode facilitar este processo. Cornélio precisava ir além e experimentar o que chamamos de conversão. A experiência da conversão nos revela que:
·  Só Deus pode nos justificar; ninguém é justo por força própria (Romanos 5.1).
·  Só Cristo nos tira da condenação (Romanos 8.1).
·  Conversão gera perseverança (Romanos 8.18).
·  Conversão envolve transformação (Romanos 12.1).
·  Conversão envolve compromisso (Romanos 12.2).
Não podemos confundir uma cultura cristã com um cristianismo pleno, profundo, consistente. É necessário ser tocado pelo poder de Deus. O Senhor nos abençoe!
Pr. Delmo Gonçalves